Automedicação oftalmológica: quais os riscos para a saúde?

Quando você sente uma dor, seja no corpo ou nos olhos, o que você faz: observa os sintomas por mais alguns dias, procura um médico ou arrisca um medicamento que algum conhecido disse que é bom para aliviá-la? Se a sua resposta foi a última opção, saiba que você faz parte dos brasileiros que têm o péssimo hábito de praticar a automedicação.

Isso não é um fato positivo, pelo contrário. Em nosso país, é muito comum encontrar pessoas que se automedicam ou usam remédios de forma indiscriminada. Tanto é que um levantamento feito pelo Conselho Federal de Farmácia identificou o ato como um problema de saúde pública.

O mesmo estudo apontou que, entre mais de 565 mil casos de intoxicação medicamentosa, quase 18 mil casos foram provocados por conta de medicação própria administrada pelo paciente. Contudo, não pense que quem se automedica só usa remédios para o corpo.

Drogas para doenças oculares também fazem parte dessa triste estatística, principalmente os colírios, vistos por muitas pessoas como inofensivos. O problema é tão sério que listamos alguns perigos para a saúde provocados pela automedicação oftalmológica. Não perca!

Agrava o risco de lesão da córnea

A lesão ou úlcera na córnea pode surgir quando se utiliza medicamentos oftalmológicos com função antibiótica por mais tempo que o recomendado. Assim, para combater doenças ocorridas por conta de bactérias e fungos, por exemplo, ao se automedicar além da prescrição médica, o paciente acaba por desencadear lesões na córnea e afetar a visão.

Provoca doenças cardiovasculares

O colírio pode até parecer um medicamento leve e sem perigo para muitas pessoas, mas saiba que ele também pode exercer o papel de vilão, inclusive, para áreas do corpo que não têm relação direta com os olhos, como o coração.

Sim, o uso errado de colírio vasoconstritor, muito utilizado para diminuir a vermelhidão dos olhos, pode provocar problemas cardíacos se cair na corrente sanguínea por meio do canal lacrimal, na hora de pingar a substância oftalmológica. Por isso, se você tiver doenças do coração, é melhor repensar na hora de usar o produto sem avisar seu médico.

Acentua as chances de desenvolver glaucoma

Um dos principais fatores que contribuem para o desenvolvimento do glaucoma é o aumento da pressão intraocular. Medicamentos com corticoide — inclusive certos tipos de colírios — utilizados nos olhos sem prescrição médica podem agravar essa pressão e provocar inúmeras doenças oftalmológicas, sendo o glaucoma uma das principais.

Acelera o desenvolvimento da catarata

A perda da transparência do cristalino, a lente transparente do olho que recebe luz e é responsável pela formação das imagens, é a causa da catarata. A enfermidade é comum em idosos, pois, com o passar do tempo, o cristalino perde a elasticidade e fica opaco.

No entanto, a automedicação também pode exercer um importante papel para o agravamento da doença, pois medicamentos com corticoide — olha ele aí de novo! — comprometem a visão e podem até desencadear a enfermidade em quem não tinha.

Possivelmente, você desconhecia os vários riscos e a gravidade que a automedicação pode trazer para a saúde, certo? Nunca utilize medicamentos sem o conhecimento do seu oftalmologista, inclusive, os que já passaram da validade, que costumam ficar em casa quando acabamos algum tratamento. Pense na sua saúde e tome medidas certas!

Outra atitude correta é realizar o check-up oftalmológico. Já fez o seu? Aproveite e leia mais sobre a importância desse procedimento.


Publicado em 09/03/2021

Posted in Doenças oculares

assinatura site

Olhar Certo Clínica Oftamológica © 2021 - Todos os Direitos Reservados.