Como tratar terçol: 4 cuidados importantes!

Terçol — também conhecido como hordéolo ou viúva dos olhos — é uma doença inflamatória que pode atingir pessoas de todas as idades. Caracteriza-se por inchaço na pálpebra (superior ou inferior), vermelhidão na área e presença de um nódulo semelhante a uma espinha com pus. É causado pelo entupimento de glândulas produtoras de gordura ou por infecções bacterianas.

Tratar terçol costuma ser muito simples. Em geral, bastam alguns cuidados caseiros e a aplicação de pomadas e colírios receitados pelo oftalmologista para que o quadro se reverta em até 2 semanas. Contudo, por ser uma doença relativamente comum, e até mesmo considerada “inofensiva”, pode haver demora no tratamento, descuido e, por consequência, agravamentos.

Ao longo deste texto, daremos informações sobre os cuidados essenciais a tomar caso seja detectada a doença, além de dicas de prevenção e alertas para fatores de risco e complicações. Não deixe de ler até o fim!

Como tratar terçol?

Fora o desconforto estético, é possível que o terçol venha sem muitos incômodos e acabe regredindo 2 ou 3 dias depois de surgir. Contudo, alguns fatores podem levar à persistência do quadro e ao agravamento de sintomas como dor, coceira, ressecamento do olho, excesso de produção de lágrimas e aumento da sensibilidade à luz. Para atenuar esses problemas e evitar a progressão da doença, são necessários alguns cuidados básicos e tratamentos simples sob orientação médica, como veremos a seguir.

1. Evite tocar no local afetado

A mão é veículo de sujeiras e micro-organismos, sendo desaconselhado levá-la aos olhos em qualquer hipótese. O terçol provoca um processo inflamatório nas pálpebras e coçar ou espremer a região com as unhas pode causar uma irritação e abrir caminho para a entrada de bactérias. Devido à semelhança do terçol com uma espinha, também é comum que se queira espremê-lo, porém, fazer isso pode causar feridas e cicatrizes irreversíveis, além de favorecer infecções.

2. Não use lentes de contato e maquiagem para os olhos

Se você usa lentes de contato, opte pelos óculos enquanto estiver com terçol. Além de irritarem os olhos, elas retêm sujeiras e bactérias que podem piorar a inflamação. O mesmo para maquiagem: evite o uso de pós, sombras, delineadores e rímel durante o período, devido às partículas presentes nos materiais e a possibilidade de contaminação por meio dos pincéis.

3. Mantenha a higiene da região e aplique compressas quentes

A área afetada pelo terçol deve ser mantida sempre limpa, evitando o acúmulo de secreção na pálpebra, a proliferação de bactérias e o alastramento do problema. A higienização pode ser feita com soro fisiológico ou com uma solução de shampoo neutro (de bebê) diluído em água morna. Deve-se aplicá-los suavemente na região afetada com um algodão, cotonete ou uma gaze macia e limpa.

Outra medida bastante eficaz para reduzir o inchaço e ajudar o organismo a drenar a secreção presente no terçol é a aplicação de compressas quentes, umedecidas com água ou chá. Você precisará de uma gaze limpa e macio, e de uma bacia com água filtrada aquecida a uma temperatura tolerável para a pele (praticamente morna). Mergulhe a gaze na bacia e torça-o de modo a tirar o excesso de líquido. Apoie a gaz suavemente sobre a área afetada e deixe por cerca de 15 minutos. Procure repetir a operação pela manhã, à tarde e à noite.

Algumas pessoas acreditam que usar chás como o de camomila — por suas propriedades calmantes e anti-inflamatórias — e o de cravo da índia — por suas propriedades analgésicas — no lugar da água morna pode potencializar os efeitos da compressa. Contudo, alguns especialistas dizem que isso é um mito e que o único agente eficaz nessa operação é o calor, por seu poder de dilatar os vasos sanguíneos e ajudar na dissolução de pus.

4. Siga o tratamento indicado pelo oftalmologista

O oftalmologista deve ser consultado, principalmente, se houver dúvida quanto ao diagnóstico, se o problema persistir por mais de 3 dias, se o incômodo com os sintomas for excessivo — prejudicando as atividades do dia a dia — ou se o aparecimento de terçol for recorrente. Ele é o profissional mais indicado para diagnosticar e prescrever o tratamento adequado, uma vez que é comum ocorrer confusão entre terçol e outros tipos de inflamação nas pálpebras, como o calázio e a blefarite.

Além da higienização da área e da aplicação de compressas quentes, deve-se evitar ao máximo a automedicação, sob o risco de agravar a inflamação e criar novos problemas. O médico poderá receitar pomadas e colírios com ação antibiótica — em caso de infecção — e anti-inflamatória. Nunca use esse tipo de remédio sem prescrição médica, pois ele pode apresentar efeitos contrários aos desejados para o tratamento, como comprimir os vasos sanguíneos em vez de dilatá-los.

Quais são as causas e fatores de risco para terçol?

Pessoas que sofrem de blefarite têm maior predisposição a desenvolver terçol, devido à produção excessiva de secreção pelas glândulas presentes nas bordas das pálpebras. Outras causas comuns são as variações hormonais típicas da adolescência, gravidez e menopausa. O estresse prolongado também pode gerar um desequilíbrio hormonal e favorecer a produção excessiva de gordura no rosto. O mesmo risco está presente em quem já tem a pele oleosa, independentemente dos processos citados.

Baixas imunológicas causadas por fatores emocionais, tempo frio, má alimentação e sono desregulado também facilitam o aparecimento de infecções e processos inflamatórios no corpo, como o terçol. Idosos precisam ter um cuidado redobrado em relação a infecções como essas, devido à maior dificuldade do corpo em se proteger e se recuperar.

Como prevenir o terçol?

A melhor maneira de evitá-lo é manter a higiene dos olhos, do rosto e das mãos. Lave as mãos com água e sabão constantemente — mesmo dentro de casa — e o rosto duas vezes ao dia. Evite esfregar os olhos com as unhas e os dedos, use um cotonete para remover sujeiras se necessário.

Disfunções hormonais persistentes podem ter origens diversas, por isso, é importante investigar junto a um endocrinologista. Tratá-las adequadamente pode prevenir o terçol e outros distúrbios no corpo. Os hormônios também podem ser a causa da pele oleosa, mas antes de tudo, é importante procurar um dermatologista.

Imunidade baixa deixa o organismo suscetível a inúmeras doenças infecciosas e o aparecimento de um terçol pode ser indicativo de que você precisa cuidar melhor da sua saúde física e emocional, tomando medidas para gerenciar o estresse e melhorar seus hábitos, como se alimentar melhor, regular o sono e praticar exercícios físicos.

Tratar terçol de maneira adequada, com orientação de um oftalmologista, é essencial para a regressão completa do quadro, principalmente se os sintomas causam desconforto excessivo e custam a passar. As formas de tratamento vão desde procedimentos caseiros — como a limpeza e a aplicação de compressas — até a administração de pomadas e colírios antibióticos, em caso de infecção bacteriana. Apesar de ser uma doença relativamente simples, deve-se evitar ao máximo a automedicação para não agravar o problema.

Ficou com alguma dúvida ou precisa falar com um especialista sobre o seu problema? Entre em contato com a gente, ficaremos felizes em atender você!


Publicado em 15/07/2019

Posted in Catarata

assinatura site

Olhar Certo Clínica Oftamológica © 2021 - Todos os Direitos Reservados.