Olhar Certo / 01/07/2020 / Doenças oculares

Afinal, o estrabismo em adultos tem cura? Descubra!

Diversas estruturas estão envolvidas na missão de captar os raios luminosos e convertê-los para a formação de imagens. Por meio nosso cristalino, os raios são direcionados para a fóvea, que fica bem no centro da mácula localizada na retina. É de suma importância que os raios atinjam justamente a região mencionada, pois é nela que está concentrada uma elevada quantidade de células essenciais para captação da luz e produção dos estímulos.

Ao detectar o estímulo luminoso, tais células o transformam em impulso elétrico e, pelo cérebro, é transformado em imagem. O estrabismo em adultos é resultado de uma falha na formação da imagem. Continue a leitura e entenda o motivo.

Entenda o que é estrabismo

O estrabismo é o resultado do desalinhamento dos olhos. Quando os olhos não estão alinhados em relação ao objeto, a imagem não é direcionada para a fóvea no centro da mácula, mas sim para a periferia da estrutura. Dessa forma, os raios não atingem a região com maior concentração de células visuais, prejudicando também a acuidade visual. 

Ressaltamos que existe uma série de músculos extrínsecos aos olhos, com a finalidade não só de realizar os movimentos, mas também de manter o globo ocular em uma posição fixa. Então, o acometimento de algum dos músculos pode causar um desvio de um dos olhos.

Saiba quais os sintomas

Existem duas características importantes que sugerem estrabismo: a aparência do globo ocular e a alteração da imagem formada. Visualmente, o desvio fisicamente aparente figura como o principal sinal, que pode ser determinante para buscar um especialista.

Além do aparente desalinhamento entre os olhos, a formação da imagem pode ficar prejudicada. Isso acontece porque em condições ideais as imagens captadas pelos 2 olhos são fundidas e transformadas em apenas uma. No estrabismo, há uma falha na fusão e o paciente se queixa de visão dupla.

Descubra as possíveis causas

De fato, é muito comum a manifestação em crianças, resultado de um desenvolvimento inadequado do sistema visual. Contudo, existem outros fatores associados e que potencializam o aparecimento da doença em adultos.

Diabetes e doenças neurológicas são alguns dos fatores. Além disso, outros problemas de visão podem resultar no estrabismo, como graus elevados de hipermetropia. Ressaltamos, ainda, que até os 6 meses pode haver um pequeno desvio, resultado da imaturidade do sistema visual que ainda está em desenvolvimento.

Conheça as formas de tratamento

O tratamento deve ser indicado por um oftalmologista, mas nem sempre o estrabismo requer cirurgia. Em alguns casos, o uso de óculos pode ser suficiente para solucionar o problema. O médico pode ainda indicar o tratamento por meio da injeção de toxina botulínica, que promoverá o relaxamento do músculo e favorecendo o alinhamento do globo ocular.

Fato é que quanto mais cedo detectado o estrabismo, maior sucesso pode ter o tratamento. 

Com a incidência crescente dos casos, principalmente devido ao aumento de acidentes e traumatismos, o estrabismo em adultos tornou-se mais frequente, deixando de ser uma condição associada exclusivamente com a infância. Diante disso, ao perceber os sintomas mencionados, procure ajuda de um médico especialista. Não se esqueça de que há maiores chances de tratamento diante do diagnóstico precoce.

Que tal manter saudável seu desempenho visual? Então, entre em contato conosco agora mesmo!

 

Saiba mais

Interessou-se sobre o assunto?
Entre em contato conosco e converse
com um oftalmologista da nossa equipe!

Entre em contato
Últimas Postagens