Olhar Certo / 05/10/2019 / Doenças oculares

Diabetes e cegueira: como esses pontos se relacionam?

No Brasil, atualmente existem cerca de 13 milhões de pessoas diabéticas, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. Esse número tende a subir em mais de 150% até 2035, também de acordo com a entidade. O fato é que, com o aumento do número de diabéticos, crescem também as complicações causadas pela doença quando é mal controlada.

Entre esses problemas estão as doenças renais, a má circulação e os danos nos nervos dos pés — que podem levar até à amputação — e também a cegueira, causada pela retinopatia, que são os problemas de retina causados pela diabetes. Como essa é uma das consequências mais graves, vamos entender como diabetes e cegueira se relacionam.

Por que uma pessoa diabética pode ficar cega?

As artérias e veias do fundo do olho são muito finas (mais do que um fio de cabelo) e quando o nível de açúcar fica muito alto na corrente sanguínea por muito tempo, as partículas de açúcar irritam esses vasos e artérias, dificultando a passagem do sangue para os olhos. Isso pode levar a hemorragias e, consequentemente, à cegueira em casos de complicações.

O inchaço e bloqueio dos vasos sanguíneos são causas de retinopatia do tipo não-proliferativo. Já nos casos em que os vasos ficam totalmente obstruídos e não conseguem mais levam oxigênio à retina, o problema se agrava muito e é conhecido como retinopatia proliferativa, ocasionando na perda da visão.

Contudo, isso geralmente acontece quando a doença não é controlada corretamente, as taxas de glicose ficam muito altas no sangue e não há acompanhamento médico. Mesmo assim, muitos pacientes não acreditam que diabetes e cegueira estejam diretamente relacionados, negligenciando o problema.

Quais são os sintomas das complicações que podem levar à cegueira?

O edema ocular diabético — que é a consequente lesão dos vasos sanguíneos causados pela retinopatia diabética — é um dos problemas oculares mais preocupantes em pessoas com diabetes e pode ser assintomática na fase inicial.

A diabetes por si só é uma doença muita vezes silenciosa, o que contribui com o número de pessoas que têm o quadro e não sabem. Em alguns casos é possível fazer o diagnóstico da enfermidade por sinais como excesso de urina, muita sede, aumento do apetite e feridas que demoram a cicatrizar.

Quando falamos da doença relacionada à visão, a complicação pela diabetes não tratada pode refletir em alterações como embaçamento e manchas na visão, flashes de luz, sangramento nos olhos e perda repentina da vista.

Quais são os exames preventivos e tratamentos?

É muito importante que a pessoa com diabetes faça exames regularmente, de preferência o todo ano, para identificar problemas ainda em fase inicial. O mapeamento da retina é um dos mais indicados, capaz de diagnosticar doenças antes mesmo do aparecimento dos primeiros sintomas.

Quando a enfermidade já está instaurada, é possível fazer o tratamento a laser, que serve para ampliar o campo visual e estabilizar sua perda. Também há as injeções de medicamentos no olho, que funcionam como aliadas da intervenção a laser, além de possibilitar a reversão da perda da visão do paciente.

Contudo, o problema da cegueira não é consequência da doença principal, mas o resultado do descaso e descontrole do tratamento da diabetes. O fato de uma pessoa ser diabética não quer dizer que ela ficará cega, mas que ela tem chances de isso acontecer caso negligencie as consultas frequentes com especialistas. 

Diabetes e cegueira não necessariamente andarão juntas do paciente que se cuida. O acompanhamento médico previne que as doenças se agravem e trata tanto da diabetes quanto da saúde ocular. 

Agora que você entendeu a relação entre essas duas anomalias, confira também quais são as principais doenças oculares, como diagnosticar e o que pode ser feito para preveni-las.

 

Saiba mais

Interessou-se sobre o assunto?
Entre em contato conosco e converse
com um oftalmologista da nossa equipe!

Entre em contato
Últimas Postagens