Olhar Certo / 12/03/2019 / Dicas

Fique por dentro dos principais sintomas da síndrome do olho seco

Você ouviu falar na síndrome do olho seco? Coceira, irritação e sensação de areia nos olhos são apenas alguns sintomas desta doença ocular que causa muito desconforto. Ela pode estar associada a vários fatores, mas o uso de aparelhos tecnológicos e as mudanças climáticas são os mais comuns.

Neste post você saberá mais sobre o que é a síndrome do olho seco, suas causas, sintomas e quais os meios de preveni-la.

Ficou interessado? Então, não deixe de ler este texto!

O que é a síndrome do olho seco?

Também conhecida como queratoconjuntivite, a síndrome do olho seco ocorre quando os olhos não produzem a quantidade suficiente de lubrificante natural para manter a superfície do olho úmida. Essa condição faz com que o organismo gere uma resposta inflamatória que se manifesta de forma bastante incômoda.

Como os olhos precisam de lágrimas para estar sempre hidratados, a  escassez desse lubrificante pode fazer levar a um atrito entre a córnea e a pálpebra, e até mesmo impedir que as estruturas presentes na região não trabalhem corretamente.

Quais são as suas causas?

As causas da síndrome do olho seco podem ser as mais diversas, uma vez que ela está associada a fatores que vão desde os problemas na produção da lágrima a fatores ambientais, como poluição, vento, excesso de exposição ao sol, ar-condicionado etc.

Outra razão que pode levar à síndrome do olho seco é o uso excessivo de computador e celular. Como esses aparelhos exigem maior atenção, a pessoa tende a piscar menos os olhos, fazendo com que eles ressequem com maior frequência e acumulem sujeira.

Outras causas relacionadas à doença são:

  • uso de lentes de contato;
  • alterações hormonais, como a redução dos níveis de estrogênio;
  • cirurgias oculares;
  • envelhecimento, pois a produção de lágrima diminui com o passar da idade;
  • excesso de oleosidade na pele próxima aos olhos ou resíduos de maquiagem;
  • uso de alguns medicamentos, como anti-histamínicos, antidepressivos, diuréticos e até mesmo alguns indicados para acne;
  • fumaça de cigarro.

E os seus principais sintomas?

Os sintomas associados ao olho seco variam em função dos fatores que o provocaram. No entanto, os mais comuns são:

  • irritação local;
  • excesso de secreção;
  • vermelhidão;
  • baixa visão;
  • sensação de areia nos olhos;
  • incômodo ao piscar;
  • vista embaçada;
  • dor de cabeça;
  • secura ocular.

Como prevenir?

Apesar da síndrome do olho seco ser uma condição que causa muito incômodo, a boa notícia é que ela pode ser evitada com alguns cuidados. Como o melhor tratamento é sempre a prevenção, preparamos algumas dicas para você não desenvolver esta doença.

A primeira dica é evitar passar muito tempo diante da tela do computador e do celular. Ler por muito tempo por meio desses aparelhos pode reduzir o número de piscadas e causar o ressecamento do olho. Por falar em piscadas, tente fazer isso mais vezes quando estiver diante de tarefas que exigem maior nível de concentração.

Mantenha também a região dos olhos sempre hidratada. Assim como a pele e os lábios, ela precisa de água para repor o líquido perdido. Invista em uma alimentação saudável, principalmente rica em ômega 3, e proteja a região contra agentes externos, como excesso de sol, vento forte, poluição etc.

Prevenir é a melhor resposta contra a síndrome do olho seco. Mantenha suas visitas ao médico oftalmologista em dia. É sempre bom saber como está a saúde dos seus olhos e receber orientações de quem realmente entende do assunto.

As informações sobre a síndrome do olho seco foram úteis? Então aproveite a visita ao nosso blog e entenda também a importância de ir ao oftalmologista mesmo sem estar doente.

 

Saiba mais

Interessou-se sobre o assunto?
Entre em contato conosco e converse
com um oftalmologista da nossa equipe!

Entre em contato
Últimas Postagens