Tumores oculares: o que pode causá-los e quais os sintomas?

Embora seja relativamente raro, o aparecimento de tumores oculares está entre as condições de saúde dos olhos mais sérias, que pode acometer desde crianças nos primeiros meses de vida até adultos e idosos.

Quando não são diagnosticados e tratados de forma adequada, esses tumores podem se desenvolver rapidamente e gerar complicações nas estruturas oculares e seus anexos, assim como em todo o corpo.

Neste artigo, listaremos os tumores mais comuns que podem ocorrer nos olhos, abordando o que pode causá-los, quais são os sintomas e tipos de tratamentos indicados. Confira!

Retinoblastoma

O retinoblastoma é o mais comum entre as crianças, que pode ocorrer desde o nascimento ou até os três primeiros anos de vida. O tumor é do tipo intraocular e atinge as células da retina, sendo identificado em estágio mais avançado, pois gera uma mancha branca no olho e perda do reflexo vermelho na pupila, especialmente com o flash das fotos.

Suas causas, em geral, são hereditárias e estão relacionadas com a mutação de um gene do cromossomo 13. Em estágio avançado, o retinoblastoma pode invadir o nervo óptico e alcançar o cérebro, podendo atingir outros órgãos e levar à morte.

É possível obter o diagnóstico por meio de um exame de fundo de olho e o tratamento deve ser realizado o mais rápido possível, uma vez que o tumor é nocivo. No tratamento, pode-se usar o laser, a quimioterapia ou a remoção do globo ocular.

Linfoma intraocular

O linfoma intraocular tem origem nas células do sistema imunológico, muitas vezes relacionado a linfomas no cérebro. Geralmente, ele afeta ambos os olhos e causa sintomas como: visão embaçada, manchas no campo de visão, vermelhidão ou inchaço no olho, sensibilidade à luz.

Na maioria dos casos, os pacientes mais afetados apresentam disfunções imunológicos, como a AIDS, e são pessoas idosas. O tratamento costuma ser feito com radioterapia local, que, na maioria dos casos, cura a doença com mínimos efeitos colaterais. Em condições mais graves, o tratamento é realizado com quimioterapia e radioterapia.

Melanoma de coroide

Outro tumor muito frequente entre a população adulta é o melanoma de coroide. Trata-se de um tumor intraocular, que surge na região entre a parte branca do olho e a retina — conhecida como coroide —, formado devido a uma lesão que, ao crescer de maneira anormal, gera o tumor.

Na maioria das vezes, é assintomático e o quadro pode acontecer em apenas um olho, porém também pode apresentar queda da visão se houver o descolamento da retina, produzindo uma sombra na visão. 

Para o tratamento, utilizam-se placas radioativas, termoterapia, enucleação, exenteração, quimioterapia ou imunoterapia, tudo dependendo das características do tumor.

Melanoma de conjuntiva

O melanoma de conjuntiva é um tipo de tumor agressivo que precisa ser tratado adequadamente assim que diagnosticado, pois apresenta grande risco de espalhar pelo corpo. Normalmente, ele aparece como lesões escuras na superfície do olho e surge de uma pinta que virou câncer ou da melanoma primária adquirida.

Como tratamento, é essencial remover todo o tumor. Para isso, são utilizadas na cirurgia técnicas específicas que permitem reduzir a chance de o tumor voltar.

Por fim, vale ressaltar a importância do acompanhamento profissional, para que o médico oftalmologista consiga identificar e diferenciar os tipos de lesões e a melhor forma de realizar o tratamento. Além disso, é fundamental realizar todos os exames complementares que podem guiar o diagnóstico e sugerir investigações adicionais.

Agora que você já conhece os principais tumores oculares, que tal entender por que você deve fazer o check-up oftalmológico? Leia o nosso artigo e fique por dentro do assunto!


Publicado em 02/08/2021

Posted in Doenças oculares

assinatura site

Olhar Certo Clínica Oftamológica © 2021 - Todos os Direitos Reservados.