Afinal, o que é o albinismo ocular? Saiba tudo aqui

Você já ouviu falar sobre melanina? Ela é um pigmento produzido por células chamadas de melanócitos. Basicamente, a principal função é proteger nosso corpo contra raios solares. Porém, no albinismo, esse objetivo não pode ser cumprido. Isso porque nos casos de albinismo há uma deficiência na produção de melanina.

Em suma, a melanina está presente na pele, olhos e até cabelos. Diante de uma produção reduzida, é preciso refletir sobre como isso vai impactar no organismo. Veja aqui como a condição acomete os olhos!

O que é o albinismo ocular?

Como visto, o albinismo ocular é uma doença cuja produção de melanina está reduzida e, neste caso, prejudicando exclusivamente os olhos. O fator hereditário representa a principal causa da condição e, para melhor compreensão, devemos relembrar um pouco da genética.

No caso do albinismo, vemos a chamada herança autossômica recessiva. Sendo assim, a pessoa com albinismo precisa apresentar 2 alelos mutados, ou seja, herdado da mãe e do pai.

Quais são os sintomas?

Se for para listar os sintomas de maneira rápida, basta lembrar que as estruturas não estarão pigmentadas pela melanina.

Então, vemos olhos muito azuis ou até mesmo translúcidos. Em alguns casos, chegam a ser avermelhados, visto que a melanina não está “escondendo” os vasos oculares.

É importante ressaltar que a manifestação vai variar de acordo com a mutação apresentada. Em alguns casos, outras estruturas do sistema visual podem ser prejudicadas, como o nervo óptico.

Quais são os impactos da condição?

O primeiro problema causado pelo albinismo ocular é a fotofobia (sensibilidade à luz). Lembra que a melanina é uma barreira para os raios luminosos? Pois é! Como a produção está reduzida, eles atravessam diretamente e atingem a retina.

Por isso, é de extrema importância o acompanhamento oftalmológico para fazer um exame clínico detalhado dos olhos.

Como é o tratamento?

O diagnóstico clínico da condição pode ser feito logo nos primeiros dias de vida por meio da observação da pigmentação.

A partir daí, é preciso implementar medidas que melhorem a qualidade de vida, visto que o albinismo ocular não tem cura.

O uso de óculos de sol pode proteger contra a fotofobia. A suplementação de vitamina D também pode ser uma opção, visto que ela é obtida pela exposição solar.

Concluímos, enfim, que o albinismo ocular é uma condição que requer acompanhamento com profissionais capacitados, tanto para o diagnóstico, quanto para o tratamento. Isso vai garantir não só uma melhor qualidade de vida por meio das abordagens sugeridas, como também vai permitir a detecção precoce de anormalidades.

Para fazer uma avaliação e obter um diagnóstico completo, conheça o corpo clínico da Olhar Certo! Entre em contato conosco agora mesmo!


Publicado em 13/04/2022

Posted in Adaptação de lente de contato

assinatura site

Olhar Certo Clínica Oftamológica © 2021 - Todos os Direitos Reservados.