O que é melanoma ocular e quais exames ajudam a identificá-lo?

O melanoma ocular é o tipo mais comum de câncer de olho. Normalmente, ele afeta a úvea, parte que fica entre a retina e a esclera (branco do olho). Embora seja o câncer ocular mais comum em adultos, ele é muito raro. Porém, ele pode levar à remoção total do olho, por isso a importância de se conscientizar sobre a doença e identificá-la. Neste post, abordaremos os principais tópicos sobre melanoma ocular a fim de ajudar você com isso. Confira!

O que é melanoma ocular?

Existem diversas categorias de câncer que são capazes de causar danos aos olhos, mas, como dissemos, o melanoma ocular é o mais comum. Esse tipo de câncer se desenvolve em células produtoras de melanina — o pigmento que origina a cor da pele. Os olhos também possuem essas células que têm o potencial de desenvolver o melanoma.

Quais são as causas?

Não se sabe ao certo por que o melanoma ocular se desenvolve. Essa categoria de câncer no olho acontece quando o DNA das células que pigmentam o olho sofre mutações. Essas alterações fazem com que as células se proliferem de forma desordenada, gerando seu acúmulo no olho e formando o melanoma ocular.

Quais são os fatores de risco?

Certas condições intensificam o risco de desenvolver esse câncer ocular. Essas incluem:

  • pele clara: pessoas que têm pele que queima facilmente apresentam maior risco;
  • olhos de cor mais clara: os indivíduos com olhos azuis ou verdes têm um risco maior do que pessoas com olhos mais escuros;
  • histórico familiar de melanoma: algumas pessoas podem herdar geneticamente o gene com mutação ;
  • crescimento de pinta nos olhos: pessoas com uma pinta nos olhos têm maior risco;
  • idade: o risco aumenta com a idade;
  • certas condições da pele e pigmentação: algumas pessoas têm um distúrbio da pele — síndrome do nevo displásico — e isso pode aumentar o risco.

Quais são os sintomas?

O melanoma ocular pode ser complicado de se diagnosticar, uma vez que se forma na parte do olho que não é visível. Normalmente, ele não causa sinais e sintomas e, em geral, é identificado por um médico especialista durante um exame oftalmológico de rotina. Alguns sintomas podem incluir:

  • visão prejudicada ou turva em um olho;
  • perda da visão periférica;
  • pintas marrons ou escuras no branco do olho;
  • uma mancha escura na íris;
  • alteração na forma da pupila.

Qual o diagnóstico e o tratamento?

O diagnóstico do melanoma ocular começa com um exame sem e com dilatação, reaizado por um oftalmologista. Como essa doença pode não causar nenhum sintoma no início, ela é detectada durante um exame oftalmológico de rotina. Se o médico suspeitar que o paciente tenha melanoma ocular, ele pode recomendar mais testes, os quais incluem:

  • exame de ultrassom do olho;
  • angiografia de fluoresceína;
  • tomografia de coerência óptica;
  • biópsia.

O tratamento depende do local e da dimensão do melanoma ocular e da saúde geral do paciente. Normalmente, as opções se dividem em duas categorias: radioterapia e cirurgia.

Agora que você conhece algumas informações sobre melanoma ocular e a importância de fazer exames oftalmológicos regulares, conheça as Clínicas Olhar Certo. Elas foram elaboradas para prestar assistência médica oftalmológica com qualidade, dispondo de profissionais com excelência em competência e atendimento humanizado.

Então, que tal entrar em contato conosco para obter mais informações sobre nossos serviços e profissionais?!


Publicado em 20/07/2022

Posted in Adaptação de lente de contato

assinatura site

Olhar Certo Clínica Oftamológica © 2021 - Todos os Direitos Reservados.